Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Sugestão de leitura: A Casa das Bengalas

por Dona professora, em 16.12.14

A Casa das Bengalas é um livro de António Mota, que aborda a solidão e a velhice. Conta a história do avô Henrique, a personagem principal e a sua adaptação a um lar da terceira idade. A história comovente de um avô e um neto que não se esquece dos seus ensinamentos, sempre pronto a satisfazer as suas pequenas vontades. 

 

 

Apresentação do livro A casa das bengalas.ppsx

 

Gonçalo Lemos, 7.º A

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:51


ESOPO, o pai das fábulas

por Dona professora, em 03.12.14

Esopo é considerado o pai das fábulas, porque lhe são atribuídas várias histórias em que os animais e a natureza personificados ensinam lições de vida. É considerado como o maior representante deste género literário.

Não se sabe ao certo quem foi ou até mesmo se terá alguma vez existido. No entanto, diz-se que terá nascido no final do séc. VII a.C. ou no início do séc. VI a.C., na região da Trácia, na Grécia. Contudo, sabe-se que, a ter existido, morreu em Delfos, executado injustamente. A razão da sua condenação é incerta. Uns dizem que foi devido a falsas acusações de sacrilégio, outros devido às suas zombarias, ou até mesmo por roubo, entre outras versões.

Segundo Heródoto, um historiador grego, sabe-se que, juntamente com Ródope, foi um dos escravos de Jádmon, um cidadão da ilha grega Samos. Esopo foi libertado pelo seu último dono devido às suas fábulas. Diz-se que ao contá-las encantou o seu dono que o pôs em liberdade.

Esopo nunca escreveu fábulas, apenas as inventava e contava. As suas histórias foram passando de boca em boca ao longo dos séculos. A sua obra aparece reunida pela primeira vez através de Demétrio de Faleros, no séc. III a.C.. As suas fábulas inspiraram também muitos outros escritores fabulistas, como por exemplo, Fedro e Jean La Fontaine.

Os animais das suas histórias representam o comportamento dos humanos. No entanto, por vezes, as suas personagens também são homens, deuses ou até seres inanimados. As suas personagens pretendem demonstrar que os seres humanos tanto podem agir para o bem como para o mal. No final de cada fábula surgia sempre uma moralidade que pretendia transmitir uma lição de vida, um ensinamento. 

Entre as fábulas que lhe são atribuídas podemos encontrar “A cigarra e a formiga”, “O leão e o rato”, “A raposa e as uvas” ou “O rato e a rã”.

5º B, texto coletivo

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:27


Texto de opinião: Matemáticas Assassinas

por Dona professora, em 01.12.14

A propósito do livro Matemáticas Assassinas o Afonso Pimentel da turma do 7.º A apresentou um trabalho onde se pode ficar a conhecer alguns truques muito curiosos sobre a matemática.

 

Trabalho_Portugues_Afonso_Pimentel.pps

 

Afonso Pimentel, 7.º A

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:33


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

subscrever feeds