Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Antonio Gedeão

por Dona Professora, em 08.11.16

Rómulo de Carvalho

Uma biografia de um poeta cientista

Rómulo de Carvalho viveu a maior parte da sua vida em Lisboa, onde nasceu e morreu, em 24 de novembro de 1906 e 19 de fevereiro de 1997, respetivamente. De seu nome completo Rómulo Vasco da Gama de Carvalho, optou mais tarde por usar o pseudónimo António Gedeão, tornando-se muito conhecido no mundo literário.

Oriundo de famílias humildes, é filho de José Avelino da Gama de Carvalho e Rosa das Dores de Oliveira Gama de Carvalho. Casou duas vezes e teve um filho por cada matrimónio: Frederico de Carvalho, também formado em ciências, e Cristina Carvalho, escritora.

Estudou na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (1928-31), onde se formou em Ciências Físico-químicas e um ano mais tarde forma-se em Ciências Pedagógicas, na mesma Universidade. Posteriormente, deu aulas como professor desta área no Liceu Pedro Nunes e Liceu Camões, ambos em Lisboa e no Liceu D. João III, em Coimbra. Entre 1946 e 1974, foi co-diretor da Gazeta de Física, órgão da Sociedade Portuguesa de Física.

Destacou-se ainda na área da divulgação e investigação científica, tendo os seus livros e artigos em jornais revelado a sua preocupação com o despertar do interesse dos portugueses pelo conhecimento científico; foi ainda autor de vários manuais escolares, que se destacaram pela inovação de grafismos e a forma de expor assuntos mais complexos. Foi o autor de Ciência para Gente Nova e Física para o Povo, que, tal como o nome indica, destinavam-se a leigos na área científica.

 Como professor, procurou sempre nas suas aulas integrar o ensino experimental, de forma a complementar os conhecimentos teóricos, para que os seus alunos compreendessem melhor os conteúdos abordados. Dirigiu o museu Maynense, que faz parte da Academia das Ciências de Lisboa, que se dedicava ao estudo da ciência no século XVIII, sendo o responsável pela reorganização desta instituição.

Na literatura, Rómulo de Carvalho optou por usar o seu pseudónimo António Gedeão e destacou-se como poeta e dramaturgo. Foi só aos cinquenta anos que começou a publicar obras escritas sob o seu pseudónimo. A sua poesia revela uma grande sensibilidade e simplicidade, abordando temas humanistas. Entre os seus poemas mais conhecidos, encontram-se “Lágrima de Preta” e “Pedra Filosofal”, ambos posteriormente musicados por Manuel Freire, com grande sucesso.

Resultado de imagem para antonio gedeao    Resultado de imagem para ES antonio gedeaoO seu contributo na literatura, educação e ciência foi reconhecido em várias homenagens. Existe uma estátua em sua honra em Oeiras, uma rua com o seu nome em Lisboa, é patrono da Escola Secundária António Gedeão em Almada, recebeu a Grã Cruz da Ordem de Mérito de Santiago de Espada e a Medalha de Mérito Cultural pelo estado português, em 1996.

O Dia Nacional da Cultura Científica foi criado em sua honra (1996), tendo sido escolhido o dia 24 de novembro para a sua celebração, dia em que nasceu Rómulo de Carvalho.   

 

Para escutar....

Pedra Filosofal

Lágrima de Preta

Texto coletivo, 7.º ano

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D