Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Sophia de Mello Breyner

por Dona Professora, em 26.05.14

Sophia de Mello Breyner nasceu na cidade do Porto, a 6 de novembro 1919, tendo falecido a 2 de julho de 2004, em Lisboa, aos 84 anos. Filha de Maria Amélia de Mello Breyner e de João Henrique Andresen, a autora tem origem dinamarquesa pelo lado paterno, pois o seu bisavô, Jan Heinrich Andresen, oriundo da Dinamarca, desembarcou no século XIX no Porto.

 

Foi exatamente nesta cidade que Sophia de Mello Breyner passou a sua infância. Foi educada num ambiente aristocrata e segundo os valores cristãos. Durante três anos (1936 a 1939) frequentou a Universidade de Lisboa, onde estudou Filologia Clássica. No entanto, nunca concluiu os seus estudos universitários. Em 1940, colaborou na revista Cadernos de Poesia, onde teve a oportunidade de publicar os seus primeiros poemas. Foi também nesta publicação que pode conhecer autores famosos como Ruy Cinatti e Jorge de Sena.

 

Sophia de Mello Breyner denunciou e liderou movimentos anti-salazarismo desde cedo, defendendo o regime monárquico. A sua “Cantata da Paz” ficou famosa como uma canção de intervenção e conhecida pelo seu refrão: “Vemos, Ouvimos e Lemos. Não podemos ignorar!”. Devido à sua oposição pública ao Estado Novo, depois da Revolução do 25 de Abril de 1974 é eleita deputada à Assembleia Constituinte.

 

Em 1946 casou-se com Francisco Sousa Tavares, um jornalista, político e advogado muito conhecido no seu tempo. Deste casamento nasceram cinco filhos. Miguel Sousa Tavares é talvez o seu filho mais reconhecido pelo público em geral pela sua faceta de escritor quer pela sua faceta de jornalista.

 

Entre 1944 e 1997, escreveu catorze livros de poesia, contos, histórias infantis e ainda artigos, ensaios e textos dramáticos. Traduziu também autores como Eurípedes, Shakespeare, Claudel, Dante. Foi ainda tradutora de poetas portugueses para a língua francesa.

Recebeu inúmeros prémios pela sua obra. Destacam-se os prémios Camões (1999) e o Rainha sofia de Poesia Ibero-Americana (2003).

Sophia de Mello Breyner Andresen faleceu, aos 84 anos no Hospital da Cruz Vermelha, encontrando-se o seu corpo no cemitério de Carnide. Em 20 de Fevereiro de 2014, foi decidido na Assembleia da República homenagear por unanimidade a poetisa, ficando estabelecido a sua transladação para o Panteão Nacional.

 

Fontes:

http://www.portoeditora.pt/campanhas/sophia-de-mello-breyner-andresen

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sophia_de_Mello_Breyner_Andresen

 

 

Texto coletivo, 6º B

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:47


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

subscrever feeds